8 de março de 2021

ONLINE " ...num FAROL", criação p/ infância ANIMATEATRO

 

EVENTO ONLINE


A luz do farol pode-te orientar, escolhe um dos dias para assistir ao espectáculo
Espreita o teaser!
https://youtu.be/uR_SFcUjyoA


Dias à escolha:
13 ou 14 Março (Sábado e Domingo) e 27 ou 28 Março (Sábado e Domingo)


Já escolheste? Contacta-nos por mensagem privada ou através do e-mail comunicacaoanimateatro@gmail.com

-

“…num FAROL”
30ª Criação para Infância

M3 | 50min



Sobre
De um Farol esperamos luz que orienta, nitidez que elucida, porto que abriga gentes dos mais diversos lugares. É lá que as estórias se encontram, se fundem e se propagam em sonhos, por um ali, por um acolá… Mas perante a bruma que surge, a névoa que fecha horizontes, o cabo que custa a dobrar…unem-se esforços, dissipam-se tormentas e tudo volta a clarear. Sabemos que lá longe, no topo, ele permanecerá a iluminar, sem nunca deixar de cuidar.


Sinopse
Com um nevoeiro tão denso nem o perto se avista, os barcos desorientados navegam sem qualquer pista. Para o Farol funcionar todos terão de ajudar…com algo contribuir, para que a luz volte a surgir!


Ficha Técnica e Artística

Texto: Original de João Ascenso | Conceção, Encenação e Direção: Lina Ramos | Elenco: Alexandre Gregório, Marisa Conceição, Miguel Viana, Sérgio Prieto (substituto) | Cenografia, Plástica e Figurinos: Lina Ramos | Costureira: Rosa Batata | Serralheiro: José Galego | Adereços e Marioneta: João Graça | Música: Cláudio Pereira e Hugo Pimenta | Imagem e Design Gráfico: César Duarte | Fotografia: Patrícia Ricardo e Paulo Vicente | Produção: Animateatro

EURÓNIO responde / as plantas comem terra?

3 de março de 2021

POEMAS com TINTA graúdos [caranguejola]


CARANGUEJOLA
p'la voz de Lina Ramos — Ah, que me metam entre cobertores, E não me façam mais nada… Que a porta do meu quarto fique para sempre fechada, Que não se abra mesmo para ti se tu lá fores! Lã vermelha, leito fofo. Tudo bem calafetado… Nenhum livro, nenhum livro à cabeceira — Façam apenas com que eu tenha sempre a meu lado Bolos de ovos e uma garrafa de Madeira. Não, não estou para mais — não quero mesmo brinquedos. Pra quê? Até se mos dessem não saberia brincar… Que querem fazer de mim com este enleios e medos? Não fui feito pra festas. Larguem-me! Deixem-me sossegar… Noite sempre plo meu quarto. As cortinas corridas, E eu aninhado a dormir, bem quentinho — que amor… Sim: ficar sempre na cama, nunca mexer, criar bolor — Plo menos era o sossego completo… História! Era a melhor das vidas… Se me doem os pés e não sei andar direito, Pra que hei-de teimar em ir para as salas, de Lord? – Vamos, que a minha vida por uma vez se acorde Com o meu corpo, e se resigne a não ter jeito… De que me vale sair, se me constipo logo? E quem posso eu esperar, com a minha delicadeza? Deixa-te de ilusões, Mário! Bom édredon, bom fogo — E não penses no resto. É já bastante, com franqueza… Desistamos. A nenhuma parte a minha ânsia me levará. Pra que hei-de então andar aos tombos, numa inútil correria? Tenham dó de mim. Co’a breca! Levem-me prà enfermaria! — Isto é, pra um quarto particular que o meu Pai pagará. Justo. Um quarto de hospital — higiénico, todo branco, moderno e tranquilo; Em Paris, é preferível — por causa da legenda… Daqui a vinte anos a minha literatura talvez se entenda — E depois estar maluquinho em Paris fica bem, tem certo estilo… Quanto a ti, meu amor, podes vir às quintas-feiras, Se quiseres ser gentil, perguntar como eu estou. Agora, no meu quarto é que tu não entras, mesmo com as melhores maneiras: Nada a fazer, minha rica. O menino dorme. Tudo o mais acabou. Mário de Sá-Carneiro

POEMAS com TINTA miúdos [a raposa e o corvo]


A RAPOSA e o CORVO
p'la voz de Lina Ramos

Mestre Corvo, numa árvore poisado,
No bico segurava um belo queijo.
Mestra raposa, atraída pelo cheiro,
Assim lhe diz em tom entusiasmado:
— Olá! Bom dia tenha o Senhor Corvo,
Tão lindo é: uma beleza alada!
Fora de brincadeiras, se o seu canto
Tiver das suas penas o encanto
É de certeza o Rei da Bicharada!
Ouvindo tais palavras, que feliz
O Corvo fica; e a voz quer mostrar:
Abre o bico e lá vai o queijo pelo ar!
A Raposa o agarra e diz: — Senhor,
Aprenda que o vaidoso se rebaixa
Face a quem o resolve bajular.
Esta lição vale um queijo, não acha?
O Corvo, envergonhado, vendo o queijo fugir
Jurou, tarde de mais, noutra igual não cair.

Esopo

2 de março de 2021

!

 

ONLINE " ...num FAROL", criação p/ infância ANIMATEATRO

EVENTO ONLINE


A luz do farol pode-te orientar, escolhe um dos dias para assistir ao espectáculo
Espreita o teaser!
https://youtu.be/uR_SFcUjyoA

Dias à escolha:
13 ou 14 Março (Sábado e Domingo) e 27 ou 28 Março (Sábado e Domingo)

Já escolheste? Contacta-nos por mensagem privada ou através do e-mail comunicacaoanimateatro@gmail.com

-

“…num FAROL”
30ª Criação para Infância

M3 | 50min


Sobre
De um Farol esperamos luz que orienta, nitidez que elucida, porto que abriga gentes dos mais diversos lugares. É lá que as estórias se encontram, se fundem e se propagam em sonhos, por um ali, por um acolá…Mas perante a bruma que surge, a névoa que fecha horizontes, o cabo que custa a dobrar…unem-se esforços, dissipam-se tormentas e tudo volta a clarear. Sabemos que lá longe, no topo, ele permanecerá a iluminar, sem nunca deixar de cuidar.

Sinopse
Com um nevoeiro tão denso nem o perto se avista, os barcos desorientados navegam sem qualquer pista. Para o Farol funcionar todos terão de ajudar…com algo contribuir, para que a luz volte a surgir!

Ficha Técnica e Artística
Texto: Original de João Ascenso | Conceção, Encenação e Direção: Lina Ramos | Elenco: Alexandre Gregório, Marisa Conceição, Miguel Viana, Sérgio Prieto (substituto) | Cenografia, Plástica e Figurinos: Lina Ramos | Costureira: Rosa Batata | Serralheiro: José Galego | Adereços e Marioneta: João Graça | Música: Cláudio Pereira e Hugo Pimenta | Imagem e Design Gráfico: César Duarte | Fotografia: Patrícia Ricardo e Paulo Vicente | Produção: Animateatro



26 de fevereiro de 2021

DESAFIO em FAMÍLIA [jogado]

 

Quem diz jogado, diz brincado; quem somos nós para pedir que a imaginação tenha limites!

Por exemplo, da nossa parte:  quem se lembrou do jogo do galo nasceu, pelo menos, nos anos 80; e quem fez a baleia diz que não tem muito jeito, mas foi com muito carinho e até a baptizou: chama-se Gigi, a baleia Feliz!

Peguem nos vossos "jogos", nas vossas brincadeiras (inventados ou não, com menos ou com mais jeito, o que conta é a intenção - lembrem-se sempre da Gigi!)

Podem enviar-nos as vossas coisinhas pelos comentários deste post, ou por mensagem privada através das nossas redes sociais, indicando-nos o nome e a idade dos intervenientes.






24 de fevereiro de 2021

POEMAS com TINTA graúdos [dedução]


DEDUÇÃO
p'la voz de Marisa Conceição

Não acabarão com o amor,
Nem as rusgas,
Nem a distância.
Está provado,
Pensado,
Verificado.
Aqui levanto solene
Minha estrofe de mil dedos
E faço o juramento:
Amo
Firme,
Fiel
E verdadeiramente.


Maiakovski

POEMAS com TINTA miúdos [pico pico sarapico]


PICO PICO SARAPICO
p'la voz de Marisa Conceição

Pico, pico, sarapico,
Pico, pico, sarapico,
Quem te deu tamanho bico?
Foi a filha da rainha
Que está presa na cozinha.
Salta a pulga na balança,
Dá um berro, vai a França;
Os cavalos a correr,
As meninas a aprender,
Qual será a mais bonita
Que se há-de esconder?
Pico, pico, sarapico,
Quem te deu tamanho bico?
Foi a velha chocalheira,
Que come ovos com manteiga.
Os cavalos a correr,
As meninas a aprender,
Qual será a mais bonita,
Que se vai esconder.
Sola, sapato, rei, rainha,
Fui ao mar pescar sardinha,
Para a filha do juiz
Que está presa pelo nariz.
Salta a pulga na balança,
E vai ter até à França.
Os cavalos a correr,
As meninas a aprender,
Qual será a mais bonita
Que se vai esconder?

Lengalenga popular

23 de fevereiro de 2021

!

 

Partilhámos há uns dias no nosso instagram (+ https://www.instagram.com/animateatro/) esta imagem de fundo. Escrevemos que todos estes raminhos personificam os bracinhos de muitos a quem queremos abraçar. Porque nos são queridos, porque nos apoiam, porque acreditam, porque trabalham árdua e honestamente naquilo que acreditam ser um dos pilares ao homem - a cultura, sim. Da qual faz parte... o Teatro.

É, é isto.

17 de fevereiro de 2021

POEMAS com TINTA graúdos [quando fores velha]


QUANDO FORES VELHA
p'la voz de Miguel Viana

Quando fores velha, grisalha, vencida pelo sono,
Dormitando junto à lareira, toma este livro,
Lê-o devagar, e sonha com o doce olhar
Que outrora tiveram teus olhos, e com as suas sombras profundas;

Muitos amaram os momentos de teu alegre encanto,
Muitos amaram essa beleza com falso ou sincero amor,
Mas apenas um homem amou tua alma peregrina,
E amou as mágoas do teu rosto que mudava;

Inclinada sobre o ferro incandescente,
Murmura, com alguma tristeza, como o Amor te abandonou
E em largos passos galgou as montanhas
Escondendo o rosto numa imensidão de estrela

William Butler Yeat

POEMAS com TINTA miúdos [a língua do nhem]


- A LÍNGUA DO NHEM -
p'la voz de Miguel Viana

Havia uma velhinha
que andava aborrecida
pois dava a sua vida
para falar com alguém.

E estava sempre em casa
a boa velhinha
resmungando sozinha:
nhem-nhem-nhem-nhem-nhem-nhem…

O gato que dormia
no canto da cozinha
escutando a velhinha,
principiou também

a miar nessa língua
e se ela resmungava,
o gatinho a acompanhava:
nhem-nhem-nhem-nhem-nhem-nhem…

Depois veio o cachorro
da casa da vizinha,
pato, cabra e galinha
de cá, de lá, de além,

e todos aprenderam
a falar noite e dia
naquela melodia
nhem-nhem-nhem-nhem-nhem-nhem…

De modo que a velhinha
que muito padecia
por não ter companhia
nem falar com ninguém,

ficou toda contente,
pois mal a boca abria
tudo lhe respondia:
nhem-nhem-nhem-nhem-nhem-nhem…

Cecília Meireles

12 de fevereiro de 2021

DESAFIO em FAMÍLIA [contado]

 

A voz é o mote... a imaginação é o limite, que no fundo, é infinita! Brinca com a tua voz para além da palavra! Conta uma história real ou imaginada (do antes, do agora ou do amanhã), conta-nos o teu dia... Queremos ouvir-te!

Enviem-nos as gravações por mensagem privada nas nossas redes sociais, ou através dos comentários deste post, com o nome e idade do porta-voz, e dos intervenientes se quiserem!

Até já!

11 de fevereiro de 2021

PODCAST por dentro da animateatro [episódio dois]

E eis que surge...

O episódio dois (2!) do nosso PODCAST por dentro da animateatro. Começamos com um clássico, Hamlet, de William Shakespeare, que se dividirá em várias partes; esta é a primeira (a primeira!)

+ spotify

Podem seguir-nos no spotify, e também no patreon! Podem tornar-se nossos patronos, contribuindo com valores simbólicos, e nós retribuindo da melhor forma que conseguimos!

9 de fevereiro de 2021

!




Cardiologia, geologia, direito, sociologia, pediatria, neurologia, psicologia, astronomia, geografia, radiologia, agronomia, arqueologia, administração interna, arquitectura, contabilidade, economia, fisioterapia, acupuntura, agricultura, entretenimento, marketing, publicidade, endocrinologia, medicina geral, enfermagem, turismo, antropologia, ciências farmacêuticas, engenharia, bioquímica, matemática aplicada, aeronáutica, gestão, recursos humanos...

Teatro.

... recursos humanos, gestão, aeronáutica, matemática aplicada, bioquímica, engenharia, ciências farmacêuticas, antropologia, turismo, enfermagem, medicina geral, endocrinologia, publicidade, marketing, entretenimento, agricultura, acupuntura, fisioterapia, economia, contabilidade, arquitectura, administração interna, arqueologia, agronomia, radiologia, geografia, astronomia, psicologia, neurologia, pediatria, sociologia, direito, geologia, cardiologia...

DESAFIO em FAMÍLIA [desenhado]











Quem quiser participar ainda neste nosso DESAFIO desenhado, poderá enviar-nos através de mensagem privada (nas nossas redes sociais) ou através da caixa de comentários deste post, até sexta-feira, o seu contributo; nesse dia, publicaremos de coraçãozinho cheio o que nos chegar e lançaremos... novo desafio!

Vem pertencer ao nosso mural!
Até já!

DESAFIO em FAMÍLIA [desenhado]

 

"E que comece o teatro", escreveu-nos a Sónia, e aproveitamos as palavras como sendo as nossas: que comece o Teatro!

Muito obrigada, é muito carinho junto!

DESAFIO em FAMÍLIA [desenhado]

 

"A Raquel, actriz de teatro, há vários anos, a preparar-se para a sua última cena, a exploradora Miranda... Não há público porque é o ensaio geral!"

É que não há palavrinhas!

5 de fevereiro de 2021

DESAFIO em FAMÍLIA [desenhado]

E o Gabriel, com 6 anos, que nos desenhou personagens em representação do mundo inteiro? Lindo!

Muito obrigada!



DESAFIO em FAMÍLIA [desenhado]




A Natacha e a Petra são irmãs, com 6 e 4 anos, respectivamente; eis como vêm o Teatro. É bonito perceber como todos tiramos partido do que nos chama a atenção, como nos marcam os pequenos-grandes detalhes do que nos rodeia, seja qual for a circunstância.

Neste caso, a Natacha desenhou a mãe e um colega a representar, mas o actor para além de estar a representar também toca (soa-vos familiar?), para uma plateia de cabecinhas; mas calma: as cortinas, o cenário, os projectores. Nada é por acaso. A Petra também evidenciou os longos cortinados vermelhos, os actores em palco e claro, os pontos de luz que nos permitem ser vistos, os projectores. Se há lá coisa mais bonita? Não nos parece.

Obrigada!

4 de fevereiro de 2021

PODCAST por dentro da animateatro

Como que um raio-x, aqui, neste lugar estaremos convosco em modo: teatro, programação, entrevistas, contos. Em suma estarão... por dentro da Animateatro!

3 de fevereiro de 2021

POEMAS com TINTA graúdos [humildade]


- HUMILDADE -
p'lo Sérgio Prieto

As águas beijei,
As nuvens olhei,
Às árvores cantei,
Na sua beleza.

Os bichos amei,
Na sua bruteza,
Na sua pureza,
De forças sem lei.

E porque os amei
E os acompanhei,
Não me senti rei
Na Mãe-Natureza.

Francisco Bugalho

POEMAS com TINTA miúdos [o gato]



- O GATO -
p'lo Sérgio Prieto
ilustrações lindas de Alexandre Gregório

Com um lindo salto
Lesto e seguro
O gato passa
Do chão ao muro
Logo mudando
De opinião
Passa de novo
Do muro ao chão
E pega corre
Bem de mansinho
Atrás de um pobre
De um passarinho
Súbito, para
Como assombrado
Depois dispara
Pula de lado
E quando tudo
Se lhe fatiga
Toma o seu banho
Passando a língua
Pela barriga.

Vinícius de Moraes

29 de janeiro de 2021

DESAFIO em FAMÍLIA [desenhado]

Porque o Teatro é interpretar, e a interpretação pode vir em diversas formas.
Somos seres que absorvem tudo ao seu redor, aproveitemos!

Dando seguimento à valência infância-família, introduzimos agora esta rubrica. Criar em colectivo, a partir de casa, dando movimento àquilo que temos em mãos.

Enviem-nos aqui nos comentários, pelo facebook, pelo instagram, o resultado do que é ser-se ilustrador de emoções, seja desenho, pintura, colagem... Basta indicarem-nos o nome do artista e a idade! Publicaremos depois com amor, e certos que estamos no sítio certo!

O tema é TEATRO, pois claro!

27 de janeiro de 2021

POEMAS com TINTA graúdos [nada é impossível de mudar]


- NADA É IMPOSSÍVEL DE MUDAR -
na voz de Lina Ramos

Desconfiai do mais trivial, na aparência singelo.
E examinai, sobretudo, o que parece habitual.
Suplicamos expressamente: não aceiteis o que é de hábito como coisa natural, pois em tempo de desordem sangrenta, de confusão organizada, de arbitrariedade consciente, de humanidade desumanizada, nada deve parecer natural, nada deve parecer impossível de mudar.

Bertolt Brecht

EURÓNIO responde

25 de janeiro de 2021

Boa semana!



Boa tarde, querido público!

Em início de semana dirigimo-nos a vós para vos dar indicação de que, à semelhança do que aconteceu em Março/Abril/Maio 2020 aquando o primeiro confinamento, vamos (re)publicar as rúbricas nessa altura criadas, "Poemas com tinta" MIÚDOS e GRÁUDOS e "EURÓNIO responde". Isto porque... estamos num segundo confinamento e há coisas boas a relembrar!

Queríamos também deixar, em cunho mais pessoal, a nossa posição: em nome de todos os elementos que integram a Animateatro, vos dizemos que sem cultura não há educação, sem educação não há cultura; sem ambas, não somos mais que pontos sem luz. A cultura e a arte são peças essenciais ao ser humano, venha quem vier, diga quem disser, faça o que fizer. Cremos nisto como quem crê que 1 + 1 = 2.

Posto isto, cremos no Teatro como pilar e elemento vivo.
Um Abraço,
Animateatro

18 de janeiro de 2021

Animateatro

 

Está negro e confuso lá fora mas não esquecer que por dentro continua um encarnado pulsante como um coração a bater - é assim a Animateatro, cremos.

14 de janeiro de 2021

CANCELADA programação infância-família

A RESILIÊNCIA.
A PERSISTÊNCIA.
A VONTADE.
O TEATRO.

Querido público,
tendo em conta as medidas decretadas pelo governo associadas ao estado de emergência, a Animateatro vem por este meio dar indicação que, infelizmente, a programação infância-família inerente ao mês de Janeiro 2021 dá-se por cancelada.
Lamentamos algum inconveniente e gritamos bem alto "até já"!

Um Abraço,
Animateatro


11 de janeiro de 2021

Estações!

 




“ESTAÇÕES”
28ª criação infantil animateatro
Teatro p/ primeira infância
6 meses – 3 anos | 35min


17 e 24 Janeiro (Domingos)
Cinema S. Vicente
11H



Espectáculo a decorrer em cima do palco
Lotação máxima de 25 lugares
(a realizar segundo as normas estipuladas pela DGS)

6 de janeiro de 2021

17 JANEIRO / Domingo



“ESTAÇÕES”
28ª criação infantil animateatro
Teatro p/ primeira infância

6 meses – 3 anos | 35min

17 e 24 Janeiro (Domingos)
Cinema S. Vicente
11H


+ evento facebook

Espectáculo a decorrer em cima do palco
Lotação máxima de 25 lugares
(a realizar segundo as normas estipuladas pela DGS)

Projecto
Em 2002 nasce o percurso da Animateatro na criação de públicos infantis. Com vista a anular possíveis dificuldades no usufruto deste recurso cultural, tem sido nosso principal propósito levar o teatro junto da criança. Em 2009, incitados pelos docentes, enveredámos pelo teatro dirigido a pequenos de mais tenra idade, abrangendo infantes dos 6 meses aos 3 anos suprimindo uma lacuna na oferta cultural que se fazia sentir na altura para esta faixa etária, a primeira infância. Nunca perdendo a importância da narrativa, a concepção criativa é centrada num universo de estímulos, permitindo ao bebé um desenvolvimento psicomotor mais expressivo na relação com os outros e o meio envolvente.

Criação
Inspirados nos movimentos de rotação e de translação do nosso planeta, digladiámo-nos com o tempo, as 24 horas que compõem o dia, os 365 dias que compõem o ano, a diferenças que ocorrem durante…em nós, na natureza. Iniciámos uma viagem que se dá entre estações, duas personagens de paragem em paragem, cuidam e assistem cada mutação, também a música dita o percurso que nos transportará até um presente.

Sinopse
O Ano perdeu o Dia, sem ajuda a viagem não será possível!
Diana salta para a carruagem e percebe que em cada estação é necessária manutenção. Na Primavera há que ajudar flores a brotar, no Verão orientar a areia num quente chão, no Outono apanhar folhas que voam e caem, no Inverno espremer nuvens que água nos dão. Num só dia ver o ano em ação, de estação em estação…

Ficha Técnica e Artística
Encenação e Direção: Lina Ramos | Interpretação: Cláudia Palma e Sérgio Marcelino | Cenário, Figurinos, Conceção Plástica: Lina Ramos | Serralheiro: José Galego | Costureira: Lina Ramos e Teresa Beirão | Imagem: César Duarte | Composição Musical: Cláudio Gomes Pereira e Sérgio Marcelino, originais e versões de As Quatro Estações de António Vivaldi | Fotografia: Patrícia Ricardo e Paulo Vicente | Produção: Animateatro